sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Férias!

Eis um tema que parece banal.
Um amigo dizia-me que é o género de tema de que se puxa quando se quer "fazer conversa". É capaz!
Mas também pode ser um tema para pensar!

As férias são um elemento importante da nossa vida, do nosso imaginário. Na sociedade actual, assumem as proporções de um verdadeiro mito!

E a nossa concepção de férias altera-se, à medidad que amadurecemos!
Quando era criança e ainda não ia à escola, a única coisa que marcava as férias era o ir à praia. Nem sempre muito agradável, com o vento forte, o bronzeador que atraía a areia. Mas com coisas fantásticas, como o fato de banho novo, as poças de águas cheias de algas para chapinhar entre as rochas e as forminhas para fazer "bolinhos de areia".
Quando comecei a ir para a escola, era o tempo do relaxe, em que podia esquecer, por algum tempo, a ameaça permamente que era frequentar a escola primária.
Felizmente, com a adolescência, as coisas melhoraram e, por vezes, as férias até se tornavam aborrecidas, porque se perdia de vista o nosso grupo de amigos.

Mas tudo isso passou.
O que são agora as férias?
Um tempo muito esperado... e pouco gozado, mas bem, porque traz a companhia mais duradoura das pessoas de quem gostamos, porque permite fazer as coisas com mais vagar, porque permite sonhar com coisas a fazer, mesmo que possamos não as fazer.
Também um tempo que vale mais pelo que o desejamos, do que talvez pelo que fazemos quando o encontramos.
É um campo de possibilidades. Algumas concretizam-se, outras não. Mas todas nos dão prazer.
E aquele bocadinho que sobra e que não se fez ajuda a sonhar e a esperar pelo próximo tempo.
E a sentir que a nossa vida vai continuar, mesmo que saibamos que um dia acaba!!!

1 comentário:

Maria do Socorro disse...

Cris, adorei o seu texto sobre as férias. Parabéns pela reflexão que proporciona. Bjs. Socorro